FHC inaugura nova fase da <b>Rádio Eldorado AM/FM</b>

O presidente Fernando Henrique Cardoso concedeu nesta manhã uma entrevista exclusiva à Rádio Eldorado, que a partir de hoje transmite o Jornal Eldorado em AM e também em FM entre às 6 horas e às 9h30. FHC comentou as denúncias publicadas neste fim de semana pela Revista Veja, de que o ex-diretor do Banco do Brasil Ricardo Sérgio teria pedido uma propina de R$ 15 milhões ao empresário Benjamin Steinbruch, que liderou o consórcio que comprou a Vale do Rio Doce.O presidente classificou as acusações como "requentadas", por considerar que já estão sendo investigadas há algum tempo, mas afirmou que devem ser apuradas. ?Até agora, outras denúncias já feitas contra a mesma pessoa não foram comprovadas e não passaram de rumores".O presidente lamentou que as tais acusações possam interferir no governo, mas afirmou que não sairá do rumo por causa de denúncias. "Eu não gosto deste tipo de coisa, críticas públicas uns contra outros, isso sempre leva a manchetes e, na verdade, o principal desaparece diante do secundário em função dessa onda e, claro que eu lamento, mas acredito que faz parte da vida, fazer o quê. Eu levo o meu rumo e o meu rumo não passa por estes caminhos complicados", garantiu.Fernando Henrique disse que fatos como este são comuns em épocas de eleições. "Naturalmente, quando chega na fase eleitoral, aumenta mais ainda, aguça mais essa vontade de ver escândalo em toda a parte", comentou."O governo não tem porque ficar aflito com estes diz-que-diz-que. Se for verdadeiro, muito bem. Espero que isso passe e com a tranqüilidade com que eu levo essas coisas. Havendo algo efetivo, a Justiça se ocupará", afirmou.Qüestionado pelo diretor da emissora, João Lara Mesquita, sobre possíveis mudanças na Voz do Brasil - programa que vai ao ar em cadeia nacional de rádio - o presidente respondeu que em seu governo houve mudanças no programa que ficou "mais vivo". Segundo ele, a responsabilidade sobre boa parte do programa não é do poder Executivo e ninguém quer abrir mão do seu espaço no rádio.Fernando Henrique, no entanto, concordou que uma opção seria liberar às emissoras o horário de transmissão. "Eu acho que nós devíamos, pelo menos, deixar que as emissoras distribuam o programa na hora mais apropriada", opinou.A Eldorado liderou campanha contra a obrigatoriedade de transmissão da Voz do Brasil. O presidente da República considera que o programa é importante e lembrou que tem grande audiência em áreas como a Amazônia, onde a informação também precisa chegar."O governo tem usado (o programa) basicamente para dar informação, sobretudo na questão das chamadas transparência, quando se manda recursos para um município, avisar para onde mandou, mas, de qualquer maneira, eu dou a mão a palmatória", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.