FHC faz críticas ao PSDB por aproximação com Lula

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso criticou na quarta-feira seu partido, o PSDB, por estar se aproximando do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele disse ver com ?com preocupação? o fato de tucanos subirem a rampa do Planalto, aceitando convites para conversas com o presidente. ?O povo está olhando para nós e dizendo: o que vocês são, peixe ou carne de vaca? Que é que vocês são? Senão vamos dar a impressão de que não somos nada?, disse, em entrevista à noite ao Telejornal do Brasil, comandado pelo jornalista Boris Casoy na TVJB. Este mês, o governador José Serra e o presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), estiveram com Lula. Serra disse que foi acompanhar prefeitos e falou sobre a possibilidade de ampliar o endividamento dos Estados. Tasso admitiu ter discutido o comportamento futuro do PSDB e se comprometido a ter postura ?civilizada? nas CPIs do Apagão Aéreo - ?sem xingar?, por exemplo, como ilustrou. Na entrevista, FHC deixou claro que não aceitará convites de Lula para um café, principalmente considerando a forma como a relação dos dois evoluiu nos últimos anos. ?Não vejo razão para ir. Se for por questões de amizade, já faz 5 anos. Porque não me convidou?? Ele também afirmou que o momento não é de definir que tucano disputará a Presidência em 2010, mas sim de deixar claro à população a que o PSDB veio, numa referência a Serra e ao governador de Minas, Aécio Neves. FHC disse que o PSDB deve se orgulhar de ter dois possíveis candidatos para a vaga, mas avisou que ambos devem fazer um esforço para assegurar a união. ?Tenho tentado dizer aos dois: ou vamos juntos ou vamos perder?, afirmou. ?Cabe agora à direção do partido impor um rumo.? Serra, segundo ele, está num início de mandato e tem que provar que é um bom governador. Aécio, por sua vez, precisa reafirmar o sucesso obtido em seu primeiro mandato. Afirmou que o PSDB tem de voltar a ter ?conexão? com a sociedade e ?assumir que é o partido da modernização?. ?O PSDB tem que dizer: somos competentes, para fazermos andar, e a favor da população, do povo.? Na sua opinião, o PSDB se ?acovardou diante do PT? quando Lula chegou à Presidência, demonstrando que não sabia se deveria ou não sair em defesa do que foi feito em seu governo. ?Agora o PT chegou aí e fez lambança.? Também se disse preocupado com a reforma política. ?Eu não vejo possibilidade de reforma no quadro atual porque o governo não está empenhado.?

Agencia Estado,

26 Abril 2007 | 09h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.