FHC evitar falar sobre Jader e elogia Tebet

Em meio à crise no PMDB por causa da delicada situação do presidente licenciado do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), o presidente Fernando Henrique Cardoso decidiu nesta sexta-feira prestigiar o ministro da Integração Nacional, o peemedebista Ramez Tebet, logo após ser informado sobre a decisão de Jader de licenciar-se do cargo de presidente do Senado.Numa solenidade realizada nesta sexta-feira na hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta, FHC optou por elogiar o trabalho do ministro do PMDB na época em que governou o Mato Grosso do Sul, em função de um acordo fechado por ele para construção da usina localizada em Porto Primavera (SP).Ao lado de Tebet, que participou da cerimônia, Fernando Henrique disse que o ministro teve "visão" e permitiu que as águas do rio Paraná, na região da hidrelétrica, inundassem parte de seu Estado para a obra da barragem."Foi preciso ter uma visão que fosse além da mesquinharia", disse o presidente, que, nos últimos dias, tem evitado envolver-se na polêmica situação do PMDB por causa da suposta ligação de Jader Barbalho em desvios de recursos do Banpará. Fernando Henrique aproveitou para criticar a ala não-governista do partido e atacou novamente o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), com o argumento de que ele é uma "exceção" na luta do Executivo e dos Estados para economizar energia."No Brasil, há uma exceção, o que é muito bom", declarou Fernando Henrique, lembrando que Itamar é o único governador que não está dando sua colaboração ao plano federal para acabar com a crise de energia.Recentemente, o peemedebista anunciou que não iria aplicar a sobretaxa sobre o consumo nem cortar o fornecimento de energia.O presidente ressaltou que até prefeitos da oposição, entre os quais o petista Marcelo Déda (Aracaju), estiveram no Palácio do Planalto buscando soluções para o problema. "Nesta hora, não há partidos, não há governo, não há oposição", frisou o presidente.Fernando Henrique tem procurado manter-se afastado dos problemas envolvendo Jader, com a justificativa de que este é um "assunto do Senado".Nesta sexta-feira, ele participou de uma solenidade sem dar, publicamente, qualquer declaração sobre a crise no Senado e o constrangimento enfrentando pelo PMDB por causa das denúncias de corrupção envolvendo Jader.Ao elogiar Tebet, o presidente surpreendeu integrantes do PMDB num dia considerado delicado para o partido.Na avaliação de peemedebistas, ao dizer que parte da responsabilidade pela construção da usina, obra da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), deve-se ao ministro da Integração Nacional, Fernando Henrique está procurando, mesmo que de forma tímida, ajudar a ala governista a sair da crise interna.A hidrelétrica de Porto Primavera faz parte de um programa para o aumento da oferta de energia e é uma das bandeiras do governo para mostrar à população seu empenho para acabar com o racionamento.Segundo o presidente, a usina será, em breve, uma das principais hidrelétricas de São Paulo. O presidente pôs nesta sexta-feira em operação comercial a décima turbina da usina e, na próxima semana, estará em Machadinho, na obra de uma hidrelétrica localizada entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.