FHC evita prolongar polêmica com Lula

O presidente Fernando Henrique Cardoso evitou dar continuidade à polêmica com o presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, e com os partidos de oposição neste domingo. Ele passou todo o dia em seu apartamento, no bairro de Higienópolis. Desceu apenas uma vez, por volta das 14h00, acompanhado por Roberto Gusmão, ex-ministro da Indústria e do Comércio no governo de José Sarney.No sábado, Fernando Henrique fez questão de falar com os jornalistas e responder às declarações que Lula havia feito na sexta-feira. "Uma pessoa que é líder nacional não pode se dirigir ao presidente da República dessa maneira. Isso é leviano. E uma pessoa leviana não se qualifica para ser presidente da República", afirmou. Na sexta-feira, o presidente já havia se referido à oposição como "irresponsável".Fernando Henrique também reuniu-se com o secretário da Ciência e Tecnologia de São Paulo, José Aníbal, candidato declarado à presidência nacional do partido. Ao deixar o apartamento do presidente, o secretário admitiu que há boas chances de ser eleito na convenção nos dias 18 e 19. "O presidente vê muito positivamente essa possibilidade", garantiu Aníbal.Ele concordou com as afirmações feitas por Fernando Henrique sobre Lula e disse não saber se a imagem do partido ou do presidente ficaram abaladas pela derrubada da CPI da Corrupção ou pela possibilidade de os senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) não serem cassados. "Nós estamos governando o Brasil e isso, às vezes, tem situações de desgaste."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.