FHC evita comentar novo pacote econômico

O presidente Fernando Henrique Cardoso recusou-se, ao desembarcar na capital paraguaia, a falar sobre o conjunto de medidas econômicas que será anunciado na próxima semana. "Eu não estou lá no Brasil, quando voltar eu digo", disse. O presidente insistiu na sua postura de não comentar assuntos do Brasil em suas viagens ao exterior, e deixou sem resposta questões sobre o novo ?round? da crise entre os partidos que lhe dão sustentação no Congresso, briga que agora coloca em campos opostos PSDB e PMDB. Fernando Henrique limitou-se a comentar o futuro do Mercosul e reafirmou sua expectativa de que a cúpula de Assunção sirva para fortalecer o bloco. "Vamos marcar o décimo aniversário avançando mais", declarou. "O espírito é positivo". O presidente admitiu que a maioria dos países do bloco enfrenta problemas, inclusive o Brasil, mas pregou solidariedade entre os governos. "É preciso haver solidariedade entre nós, ademais sempre fizemos assim", frisou, comentando os problemas que vêm sendo enfrentados pela Argentina e pelo próprio Paraguai. "O Brasil sempre esteve pronto a entender os problemas paraguaios, que é um país com quem temos uma integração mais profunda", afirmou. Apesar do discurso conciliador, Fernando Henrique evitou antecipar sua posição sobre o pedido paraguaio de compensação tarifária, por causa da nova desvalorização do real frente ao dólar. "Não posso dar detalhes porque ainda não falei com o ministro da Fazenda", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.