FHC espera queda nos juros dos EUA

O presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou hoje que "provavelmente, o Banco Central dos Estados Unidos ? o Fed ? vai baixar ainda mais a taxa de juros". Ele fez tal declaração na abertura da reunião com quatro ministros, os presidentes da Câmara e do Senado e os líderes de todos os partidos, para avaliar as conseqüências dos atentados terroristas nos Estados Unidos. Para o presidente, "não existe nenhuma razão, neste momento, para que se extrapolem conseqüências extremamente negativas dos fatos ocorridos". Ele fez um relato sobre uma série de providências que vem sendo adotadas. Citou, por exemplo, o caso dos bancos centrais europeus, que agiram com muita rapidez e proveram a liquidez do sistema após a onda de atentados que atingiu os Estados Unidos. Lembrou também que os títulos dos países emergentes, na liquidação dos créditos, não estão sendo cobrados na hora. Ele mostrou que a bolsa de Londres funcionou normalmente e que a de Nova York só não funcionou porque não havia condições. "Enfim, dando tempo para que haja um reajuste", disse. E definiu: "entre as ações de competência, a principal é a de normalidade". Ele alertou que os mercados estão sempre prontos para especular. O presidente recomendou aos participantes da reunião cautela nas declarações. "Uma declaração exagerada ou uma denúncia mal posta, ou a falta de ação em questões que são importantes têm efeito imediato", disse. Ele completou lembrando que a normalidade no Congresso é importante para que se consiga concluir a "votação de leis que digam respeito ao interesse do País, de acordo com a concepção que cada um tem dele".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.