FHC é "eleito" o maior corrupto do País pelo "Grito da Terra"

Os participantes do "Grito da Terra", organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), elegeram o presidente Fernando Henrique Cardoso como o homem mais corrupto do Brasil, numa votação simbólica que começou quarta-feira entre os próprios participantes do movimento e moradores de Brasília. Em segundo lugar ficou o ex-senador Antonio Carlos Magalhães; em terceiro, o atual presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), e em quarto, o governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz.O resultado foi anunciado hoje pelo presidente da Contag, Manoel dos Santos, em assembléia na frente do Ministério do Desenvolvimento Agrário, em Brasília. "O presidente comprou deputados e impediu que se fizesse a CPI da Corrupção", disse Manoel dos Santos.Presente ao ato, o presidente nacional do PT, deputado José Dirceu (SP), reforçou a afirmação de Santos. "Não posso discordar da voz do povo", disse. "A imagem que ele (Fernando Henrique) tem hoje é a de responsável e conivente com a corrupção, na medida em que não tomou as medidas necessárias e impediu a CPI da Corrupção".Os participantes do "Grito da Terra" levaram envelopes com terra para serem entregues ao ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann, e uma porteira de madeira, que foi quebrada para simbolizar a necessidade de invasões de terras no Brasil para fazer avançar a reforma agrária. De acordo com a Contag, cinco mil pessoas participaram do ato. A Polícia Militar estima três mil.Manoel dos Santos reclamou por não ter sido recebido, quarta-feira, pelo ministro Raul Jungmann ou por algum representante do ministério. A Contag reivindica a liberação de R$ 8,5 bilhões para assentamentos e agricultores familiares, no próximo ano. O governo, segundo Santos, acena com R$ 4,7 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.