Denise Andrade
Denise Andrade

FHC e Alckmin confirmam prévias tucanas, diz Doria

Pré-candidato tucano afirma que ex-presidente o tranquilizou sobre rumores de que as prévias do PSDB poderiam ser canceladas

Ana Fernandes, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2016 | 17h26

Pré-candidato tucano à Prefeitura de São Paulo, o empresário João Doria se reuniu com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso nesta quarta-feira, 27. Segundo Doria, FHC o tranquilizou sobre os rumores de que as prévias do PSDB poderiam ser canceladas. "Ele me tranquilizou, disse que as prévias vão ocorrer, pois não há nenhuma razão para cancelar. Ele foi taxativo", afirmou Doria.

O empresário disse que FHC segue apoiando seu adversário, o vereador Andrea Matarazzo, mas que o ex-presidente é, "acima de tudo, um democrata" e que, no encontro, incentivou-o a continuar na disputa. "É direito dele apoiar o Andrea e não diminui em um milímetro meu respeito pelo presidente Fernando Henrique."

Doria disse ainda ter se reunido com o governador paulista, Geraldo Alckmin, há dois dias. "O governador também foi muito claro em dizer que não há nenhuma razão para não termos as prévias", relatou o empresário. Segundo Doria, nem os caciques nem nenhum outro integrante do PSDB pediram que ele deixasse a corrida pré-eleitoral. "Até porque, se alguém pedisse, ouviria um não."

Reunião com os demais pré-candidatos. Na noite dessa terça-feira, 26, Doria esteve em uma reunião com os demais pré-candidatos no gabinete do presidente municipal do PSDB, Mario Covas Neto, o Zuzinha. Doria relata que ele, Matarazzo e o deputado federal Ricardo Trípoli se trataram de forma cordial, aprovaram um modelo digital de votação e tiveram pontos de divergência com relação ao formato de debate. "Pessoalmente, eu defendo o debate aberto com a participação de filiados. Os demais candidatos preferem um debate gravado em estúdio", relatou.

Doria confirmou que, ao final do encontro, Matarazzo não quis tirar uma foto com os demais pré-candidatos. Segundo o empresário, ele e Trípoli não ficaram incomodados com a atitude de Matarazzo. "O Andrea não quis fazer a foto, mas ficou tudo bem, não entendo isso como nenhuma cisão."

O empresário também disse não ver problemas nas prévias criarem um ambiente de competição interna no PSDB. "Isso se supera. Nessa fase das prévias, é normal haver divergência, mas depois todo mundo vem junto. Nesse momento, claro, não tem princesinha no parque, todo mundo quer disputar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.