FHC diz que PSDB sempre teve consideração por Serra

Em evento neste sábado, 31, em São Paulo, ex-presidente rebateu críticas de Goldman de que, enquanto o PT homenageia quadros condenados, tucanos não valorizam o ex-governador

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo,

31 de agosto de 2013 | 15h18

SÃO PAULO - O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso negou neste sábado, 31, que o PSDB desrespeite o ex-governador José Serra. Após proferir palestra em evento da militância negra do PSDB, em São Paulo, FHC rebateu as críticas feitas pelo vice-presidente do partido Alberto Goldman em entrevista ao Estado, na qual afirmou que o PT homenageia quadros condenados enquanto o PSDB não valoriza o ex-governador - que tem se movimentado para se lançar a Presidência em 2014.

Questionado se o partido não dá o devido valor a Serra, FHC disse: "Sempre deu. O PSDB deu ao Serra todas as possibilidades da vida. Ele sempre foi muito considerado".

O ex-governador de São Paulo iniciou uma articulação pelos bastidores para tentar colocar de pé seu projeto presidencial. Ele já disputou o maior cargo do Executivo em 2002 e em 2010. Serra dá sinais de que opera com duas hipóteses: ficar no PSDB e disputar prévias com o senador Aécio Neves, provável candidato do partido, ou se filiar ao PPS, que deixou as portas abertas para o tucano. Para FHC, o PSDB não pode descartar as prévias.

"Ele está naturalmente buscando o espaço. O partido tem que entender isso. Vamos ver quem tem a maioria depois. Se for o caso, faz uma prévia", disse o ex-presidente.

Perguntado sobre sua declaração criticada por Goldman  - de que achava natural a candidatura de Aécio -, FHC afirmou que é inegável a vantagem do senador mineiro na disputa interna.

"Natural significa neste momento o seguinte: a maioria do partido tem se manifestado a favor de Aécio. É inegável. Todo mundo sabe disso, até o Goldman sabe", disse.

Campos. O ex-presidente tucano afirmou ser favorável à montagem de palanques duplos entre o PSDB e o PSB nas próximas eleições. Porém, disse desconhecer um suposto pacto de não agressão firmado entre Aécio e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

FHC avaliou o diálogo entre Aécio e Campos com bons olhos e afirmou que gosta da ideia do governador pernambucano sair candidato à Presidência.

"Eu gostaria que ele fosse (candidato). Vejo com alegria. Vai fazer a diferença", afirmou o tucano.

Para caciques do partido, quanto mais candidatos em 2014, melhor para fortalecer a oposição. "Campos dá sinais de que vai sair candidato. Isso é bom porque fortalece a oposição", disse o presidente estadual do PSDB, o deputado Duarte Nogueira, presente no evento. Nogueira dividiu o palco com FHC e com outros líderes municipais e estaduais da legenda, como os secretários estaduais Julio Semeghini e José Anibal.

Tudo o que sabemos sobre:
José SerraFHCGoldman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.