FHC diz que fez a maior reforma agrária da história contemporânea

O presidente Fernando Henrique Cardoso fez nesta quarta-feira menção indireta à ofensiva do MST sobre as propriedades de sua família e amigo. Segundo ele, mais de 20 milhões de hectares de terra foram desapropriados durante seu governo."Foi a maior reforma agrária que já se fez na história contemporânea", afirmou o presidente durante inauguração da ponte Sérgio Motta, na capital de Mato Grosso. "E da nossa parte, sem violência. O desatino de uns não justifica a inércia de outros."A inauguração da ponte Sérgio Motta - presenciada pelo ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, pelos governadores tucanos Albano Franco (SE) e Marconi Perillo (GO), pelo advogado-geral da União, Gilmar Mendes, e pela viúva do ministro, Vilma Motta - se transformou em comício de despedida do governador de Mato Grosso, Dante de Oliveira, que se afasta do cargo no próximo dia 6 para concorrer ao Senado.Por mais de uma hora, Dante enumerou as realizações de seu governo e as parcerias que fez com o setor privado, sempre exaltando a colaboração do governo Fernando Henrique.O governador aproveitou seu discurso para também criticar as últimas invasões do MST. "Não podemos confundir democracia com libertinagem, bagunça e anarquia. Isso não leva é reforma agrária", declarou.Durante almoço com jornalistas, Dante atribuiu a ação do MST a uma "jogada eleitoreira": "Estão buscando um cadáver para a campanha eleitoral", acusou o tucano.Segundo ele, as atitudes do movimento prejudicam o PT, que "tem ligações com os sem-terra". "O Lula (Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato a presidente pelo PT) precisou fazer várias assembléias no partido para se posicionar", atacou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.