FHC diz que é preciso 'criar clima' para transição

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou hoje que o PT e o PSDB já deveriam ter trabalhado, durante a campanha presidencial, para viabilizar um ambiente político no qual questões importantes para o País, como as reformas política e tributária, pudessem ser realizadas em 2011. Ele afirmou que, contudo, tal passo não ocorreu e que agora será preciso "criar um clima" para permitir que ocorra uma transição de governo com mais cooperação.

RICARDO LEOPOLDO, Agência Estado

31 de outubro de 2010 | 12h08

"O governo do presidente Lula se caracterizou por intransigência e intolerância. Um é bom, outro é mal, (para eles) no caso do PSDB eu sou o mal. Muito bem, essa é uma avaliação deles, mas nós precisamos avançar", disse FHC, ressaltando que, do contrário, a política do Brasil poderia continuar com tons binários. "Ou cara, ou coroa", afirmou.

FHC manifestou-se confiante na vitória do candidato José Serra (PSDB) e tomou cuidado ao responder a uma pergunta sobre comentário da candidata a presidente Dilma Rousseff (PT) publicado hoje em "O Estado de S. Paulo", segundo o qual, passadas as eleições, é o momento de construir pontes e que os políticos deveriam trabalhar em benefício do País. "Primeiro é preciso ver se quem será eleito será Serra ou Dilma", disse.

"O Brasil precisa de pontes (políticas). Porém, o governo do presidente Lula e o PT foram dinamitadores de pontes", afirmou, dizendo que não pode acreditar em que tem no currículo a destruição do bom relacionamento político. O ex-presidente ressaltou que não tem mágoa pessoal do presidente Lula, mas ressaltou que seu governo foi aquém das expectativas. "Houve abuso do poder político e econômico, sem dúvida", disse, referindo-se ao atual governo, da intenção de eleger Dilma Rousseff.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010FHCtransiçãoclima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.