FHC diz estranhar ausência de PT em apuração da PF

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse ontem, em São Paulo, estranhar o fato de o PT não aparecer entre os partidos citados na Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, que investiga supostas doações ilegais da construtora Camargo Corrêa para políticos e partidos. ?Me parece estranho. (A Camargo Corrêa) É uma empresa grande, que certamente deve ter apoiado a campanha de todo mundo. E, pelo que vi, o apoio era legal?, disse ele, para ironizar: ?Terá sido a única empresa grande que não deu nada ao PT. O partido deveria protestar por não ter recebido nada?.

AE, Agencia Estado

27 de março de 2009 | 08h43

Fernando Henrique questionou ainda a forma como a PF divulgou informações sobre a operação. ?Tudo corre em segredo de Justiça até que uma ''partezinha'' interessa à imprensa, justamente a ''partezinha'' em que só aparece a oposição, dando a impressão de que havia alguma coisa suspeita?, criticou. A tese foi reforçada em Brasília pelo presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), para quem o governo federal fez uso político da operação. Segundo ele, o governo deixa vazar informações ?deliberadamente?, sem provas do suposto envolvimento dos acusados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PFOperação Castelo de AreiaFHC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.