FHC discute situação mundial com Aécio e Tebet

A situação de tensão internacional após os atentados terroristas sofridos pelos Estados Unidos no dia 11 foi o tema principal do encontro de pouco mais de uma hora entre o presidente Fernando Henrique Cardoso e os presidentes do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), e da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), segundo relato de ambos. Além de lhes ter pedido que se mantenham atentos para os desdobramentos do confronto entre os Estados Unidos e os movimentos terroristas, Fernando Henrique fez uma avaliação otimista do cenário econômico brasileiro. Lembrando uma frase do ex-governador de Minas Gerais Magalhães Pinto, para quem a política era como uma nuvem, mudando de posição a cada momento de forma e posição, o presidente disse que a economia também é assim. O presidente, segundo relato de Tebet e Aécio, acha que não há motivos para catastrofismo, sustentando essa avaliação, entre outros, no fato de que os preços do petróleo se mantiveram estáveis, apesar das turbulências decorrentes dos atentados nos EUA. Na avaliação de Aécio Neves, uma eventual guerra entre EUA e Afeganistão trará conseqüências para a economia brasileira, mas não é necessária, neste momento, nenhuma medida precipitada. Para Tebet, o Brasil desfruta de certa tranqüilidade, uma vez que não está sujeito a ataques terroristas. No encontro com os presidentes das duas Casas do Congresso, realizado no Palácio da Alvorada, Fernando Henrique discutiu, também, as pautas do Legislativo, mas não definiu nenhuma prioridade de votação, segundo relato de ambos. Participou do encontro o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Aloysio Nunes Ferreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.