FHC discorre sobre felicidade e poder

Ao discursar ontem para servidores do Palácio do Planalto, numa cerimônia de confraternização de fim de ano, o presidente Fernando Henrique Cardoso disse que poder e felicidade não andam juntos. ?Certamente não são os mais poderosos que necessariamente são os mais felizes. Dificilmente?, afirmou.Fernando Henrique falou de improviso a mais de 200 servidores, após acompanhar, com um quase-sorriso no rosto, a apresentação do Coral Comunhão Espírita. Ao final, depois de ouvir quatro músicas, saudou com entusiasmo o regente e integrantes do coral.?Os mais poderosos são talvez aqueles que têm menos condições de serem felizes, porque no mínimo seus atos nem sempre tornam os outros felizes?, disse o presidente. ?E os atos, às vezes, são necessários mesmo quando nós sabemos que não são atos que possam tornar a todos felizes.? Por fim, concluiu: ?Isso naturalmente dói a quem é obrigado a tomar decisões que não podem ser as melhores para todos.?Em seu sétimo ano de governo, após quase dois mandatos no Palácio do Planalto, Fernando Henrique viveu hoje um dos últimos dias do ano com atividades em Brasília, antes de viajar para os feriados de Natal e Ano Novo.Ele discorreu sobre o conceito de felicidade, destacando que se trata de algo ?subjetivo?. ?É difícil saber realmente o que significa para cada um felicidade?, disse. ?Não há um conceito geral.? Para o presidente, cada pessoa deve buscar a felicidade como puder e ?quanto mais simples for o anseio por felicidade, mais fácil será alcançá-lo?.?De qualquer maneira, poderosos ou não, nós somos seres humanos e cada um, à nossa maneira, busca o conforto da felicidade e normalmente essa busca é mais fácil no seio da família. É por isso que Natal é uma festa que congrega tanto?, observou.Segundo Fernando Henrique, 2001 ?não foi um ano fácil?. ?Mas estamos chegando ao fim, mantendo nosso País avançando no rumo do futuro?, disse. ?Quando eu era criança, diziam que o Brasil era o País do futuro. Acho que o futuro já chegou.?Para o presidente, o Brasil atual é melhor para as crianças, graças a avanços na educação, com o maior acesso à escola ? 97% da população de 7 a 14 anos estão estudando -, e na saúde, com as campanhas de vacinação disseminadas pelo País. ?Com todos os percalços que são normais na vida de uma grande nação como a nossa, nós vamos avançando no sentido mais positivo do futuro?, disse Fernando Henrique, desejando ?paz, amor e felicidade? a todos osservidores. ?Que nós todos estejamos juntos, como brasileiros que somos, brasileiras que somos, pensando na necessidade de termos um país mais solidário, mais justo, mais humano.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.