FHC deve manter Brindeiro no posto

Tudo indica que no final deste mês o presidente Fernando Henrique Cardoso indicará Geraldo Brindeiro para um quarto mandato consecutivo de dois anos como procurador-geral da República.Políticos ligados à base aliada do governo comentaram que, ?apesar da imagem de Brindeiro de engavetador de processos?, o presidente não deve arriscar-se ao indicar uma pessoa que poderia trazer-lhe problemas em seu último ano de mandato.O líder do PT na Câmara, deputado federal Walter Pinheiro (BA), opinou que ?seria um risco o presidente indicar um novo procurador porque ele poderia abrir a gaveta do Brindeiro?.Segundo o parlamentar, o governo quer se preservar, já que no próximo ano ocorrerão as eleições presidenciais. Além de procurador-geral da República, o indicado por Fernando Henrique acumulará o cargo de procurador-geral eleitoral no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).Na quarta-feira, o líder do governo no Congresso, deputado federal Arthur Virgílio (PSDB-AM), encaminhou a Fernando Henrique o resultado de uma eleição promovida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) da qual participaram cerca de 80% dos integrantes da ativa do Ministério Público Federal.Os votantes opinaram quem deveria ser o próximo procurador-geral. Brindeiro ficou em sétimo lugar. Os três primeiros colocados foram os subprocuradores-gerais da República Antônio Fernando, com 57% dos votos; Cláudio Fonteles, com 38%; e Ela Wiecko, com 31%.Por trás da candidatura de Brindeiro à terceira recondução há um apoio intenso do PFL, partido do vice-presidente Marco Maciel, que é parente do procurador-geral.O líder do PFL na Câmara, deputado federal Inocêncio Oliveira (PE), elogiou Brindeiro e disse que ele não é ?engavetador de processos?.?Ele tem bom senso, sentimento de responsabilidade e fortaleceu o Ministério Público?, afirmou. Mas um assessor do Palácio do Planalto considera que para o governo não é bom ter a sua imagem associada a Brindeiro, que, nos bastidores, é chamado de ?engavetador-geral da República?.Porém esse assessor reconhece que seria arriscado trocar de procurador às vésperas da eleição. Nesta quinta-feira, um advogado do Mato Grosso encaminhou uma ação popular ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra Brindeiro, contra o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), e contra o Banco Central.Celso Marques Araújo alega que Brindeiro determinou o arquivamento sem justificativa plausível do caso que envolve o desvio de recursos do Banpará. Na época, o Pará era governado por Jader Barbalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.