FHC desconfia da articulação do governo com a oposição

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso manifestou nesta sexta-feira, 13, desconfiança em relação à articulação do governo para apresentar projetos de interesse do País em conjunto com os partidos de oposição. "Como vamos dialogar se o presidente Lula me ataca por nada", disse FHC. O ex-presidente também se mostrou contrário à suposta articulação para acabar com a reeleição para cargos executivos, instituída durante o seu primeiro governo. Segundo ele, o mandato de quatro anos é insuficiente para um governo, e mesmo um de cinco anos, como seria proposto com o fim da reeleição, pode não bastar. FHC defendeu que o Brasil não continue a fazer mudanças institucionais com tanta seqüência. O ex-presidente fez uma palestra de encerramento do seminário A reinvenção do futuro das grandes metrópoles e a nova agenda de desenvolvimento econômico e social da América Latina, na Associação Comercial do Rio. PAC no primeiro mandatoEm entrevista à Rádio Gaúcha, nesta sexta-feira, em resposta a uma pergunta sobre perspectivas de sucesso do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o ex-presidente disse que seu sucessor, Luiz Inácio Lula da Silva, deveria ter iniciado o PAC no primeiro dia do primeiro mandato, em 2003. Segundo FHC, Lula herdou o Plano de Eixos de Desenvolvimento e todo um sistema de gestão no Ministério do Planejamento e, por não ter levado os programas adiante, perdeu quatro anos. "Agora vão tentar reorganizar", observou. FHC também acusou o governo atual de lançar programas e ir para a televisão fazer marketing tratando projetos que estão no papel como se fossem realidade. "O que é o PAC? Um conjunto de projetos. Vou torcer para que faça. Mas por enquanto (não fez) nada, zero", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.