FHC defende entendimento sobre Iraque

O presidente Fernando Henrique Cardoso disse hoje que a defesa de um ponto de vista não pode comprometer o bem comum. Ao referir-se à atual crise dos Estados Unidos com os países do Oriente Médio, o presidente ressaltou que quando o calor é das palavras e não das "labaredas das armas" há sempre possibilidade de entendimento. Ao discursar na cerimônia comemorativa do centenário de nascimento do ex-presidente Juscelino Kubistschek, no Palácio da Alvorada, Fernando Henrique comparou a história de JK com o momento atual, vivido pelo País. Segundo ele, o projeto democrático implantado por JK estava fundamentado no seu ânimo para o diálogo. O presidente lembrou que ao criar seu plano de metas, JK fez com que o país acreditasse mais em si mesmo. Hoje, segundo Fernando Henrique, o País ficou mais complexo e as fronteiras do desenvolvimento precisam ser entendidas.O presidente Fernando Henrique Cardoso destacou também em seu discurso o período eleitoral no País. Segundo ele, o Brasil vive hoje um processo eleitoral dentro da plenitude democrática, e que mesmo com palavras mais candentes de alguns candidatos, o processo é tranquilo. "É uma prova do rigor da democracia", afirmou o presidente. Fernando Henrique disse ainda que deseja que seu sucessor seja apoiado por uma sólida base parlamentar, como ele mesmo fez, inspirado em Juscelino Kubistschek. O presidente concluiu o discurso afirmando que JK foi o grande inventor do Brasil moderno. Na solenidade, Fernando Henrique descerrou uma placa dedicando a JK a árvore sibipiruna, localizada a cerca de 50 metros do Palácio da Alvorada, onde o presidente costuma dar suas entrevistas ao ar livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.