FHC defende contribuição de inativos

O presidente Fernando Henrique Cardos disse hoje que o novo ministro da Previdência e Assistência Social, Roberto Brant, terá agora a possibilidade de levar à prática projetos que ele próprio relatou, enquanto deputado na Câmara Federal. De acordo com o presidente, Brant saberá "o momento oportuno" para esclarecer o País da necessidade de se aprovar a cobrança previdenciária dos servidores inativos. Fernando Henrique frisou, entretanto, que não caberá apenas esse debate para o novo ministro da Previdência. "O grande debate é conseguir a cobertura previdenciária para 40 milhões de brasileiros do setor privado que estão no chamado emprego informal", afirmou. Fernando Henrique ressaltou também a necessidade de se aprofundar as discussões sobre a previdência rural. Ele lembrou que na gestão do ex-ministro, Waldeck Ornélas, importante passo já foi dado em relação a previdência, que foi a aprovação do Fator Previdenciário. Fernando Henrique destacou, no entanto, que a questão da previdência estatal ainda não foi equacionada de forma eficiente e que essa será uma das tarefas do novo ministro Roberto Brant.

Agencia Estado,

13 de março de 2001 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.