FHC considera absurda eleição de Feliciano para comissão

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) se manifestou contrário à eleição do deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. Após aula magna para calouros da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP), o ex-presidente tucano disse que a indicação do parlamentar era "um absurdo". "Achei a mesma coisa que todos os brasileiros de bom senso: que é um absurdo", disse FHC.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

13 de março de 2013 | 10h11

Feliciano é acusado de racismo e homofobia e vem recebendo várias manifestações contrárias à sua permanência na comissão. Mais cedo nesta terça-feira, integrantes do PT, PSOL e PSB na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados protocolaram pedido de mandados de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contestando a sessão que elegeu o deputado como presidente do colegiado.

Apesar dos protestos, Feliciano disse, no início desta tarde, que não pretende deixar a presidência da comissão, está "tranquilo" e é um "homem sereno".

Tudo o que sabemos sobre:
Marco FelicianoFHC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.