FHC: confiança em sua base no Congresso

Em entrevista telefônica ao Jornal da Globo, da Rede Globo, o presidente Fernando Henrique Cardoso, disse que a governabilidade nunca esteve ameaçada e que está completamente seguro da base parlamentar que o sustenta no Congresso. Nesta quinta-feira, os coordenadores políticos do governo se reúnem para avaliar os resultados as eleições no Congresso. A preocupação é reunir o maior número de apoios para aprovar as reformas tributária e política, e complementar a reforma da Previdência. Para a maioria dos analistas ouvidos nos noticiários, dificilmente o PFL se afastará do governo, apesar da retumbante derrota que teve nas eleições para as duas Casas do Congresso. O senador Antônio Carlos Magalhães revelou ter aconselhado aos ministros Rodolpho Tourinho e Waldeck Ornelas, ambos do PFL baiano, a não pedirem demissão. Mas não é improvável que Tourinho, das Minas e Energia, seja substituído numa eventual reforma ministerial. Segundo o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, deputado Aloísio Nunes Ferreira (PSDB-SP), o presidente da República quer unir os pefelistas para as votações no Congresso. O novo presidente da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), reiterou que irá mesmo submeter ao plenário o projeto que restringe a adoção de medidas provisórias pelo governo. O novo presidente deixou claro que não caberá a ele o trabalho de recompor a base do governo. "Este certamente será um trabalho dos líderes da base, dos líderes do governo. Meu papel, como presidente eleito da Câmara, é fazer a união da instituição."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.