FHC compara política de alianças do PT à Arca de Noé

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso criticou hoje a política de alianças dos petistas. Segundo ele, o PT sempre quis fazer de conta que ia governar sozinho e está fazendo aí uma Arca de Noé. "Entendo que tem que ter maioria, mas maioria para que ?", indagou. Para FHC, é duvidosa a eficácia de adesões de outros partidos no segundo turno, porque "o eleitor não está preocupado com os partidos que vão apoiar, e sim com o desempenho do candidato".Em resposta às críticas feitas pelo ministro da Casa Civil, José Dirceu, sobre sua ausência da campanha de José Serra, o ex-presidente disse que "o ministro deve entender que São Paulo é tucana". "Só na Câmara Municipal tivemos mais votos de legenda do que o PT e no Estado de São Paulo ganhamos em toda parte", observou.Fernando Henrique avaliou que a disputa do segundo turno em São Paulo vai ser boa porque a campanha será um confronto direto entre as propostas de Serra e da prefeita Marta Suplicy, candidata do PT à reeleição. "Serra tem uma gestão eficiente, não é marqueteiro. A gestão da prefeitura de São Paulo foi muito mais de exibicionismo, de fazer projeto que não tem alcance efetivo", comparou. Para o tucano, Serra tem um estilo mais sólido, que no seu entender é semelhante ao do governador Geraldo Alckmin. "Não é estilo de fazer barulho sem ter nada por trás; é ir construindo como formiguinha." Ele negou que tenha gravado mensagem para o horário eleitoral de Serra no segundo turno, mas poderá fazê-lo caso seja necessário. "Não que o Serra precise do meu apoio para ganhar; ele vai ganhar por ele; se for preciso por alguma razão, eu gravo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.