FHC cobra punição a envolvidos em escândalos recentes

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso cobrou nesta segunda-feira punição aos envolvidos nos recentes escândalos que assolaram o País, tais como o dos sanguessugas - superfaturamento de ambulâncias - e o do dossiê contra tucanos. "O que assistimos no ano passado foi um descalabro, a falta de punição e a falta de sentimento de Justiça são coisas que precisam ser recuperadas para o Brasil", emendou ele, após cerimônia de transmissão de cargo ao governador eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), no Palácio dos Bandeirantes. Ainda sobre a questão da ética, FHC disse que não é possível não acontecer nada com os envolvidos nestes escândalos. E ironizou: "tem sempre um poderoso (envolvido) e não acontece nada. A lei aqui parece que só existe para quem é pobre, o rico não paga pena de lei nenhuma. Isto está errado e tem de acabar". FHC elogiou a eleição de José Serra e disse que ele "é um homem capaz de dar rumo ao País e ao Estado de São Paulo porque é consistente, tem experiência e coragem". O ex-presidente tucano também elogiou o duro discurso feito por Serra, com pesadas críticas ao governo Lula. Apesar do tom do pronunciamento, FHC acredita que Serra fará uma oposição responsável "como o PSDB sempre fez e com relações administrativas corretas". Mas voltou a lembrar que seu partido atuará de forma fiscalizadora, sobretudo se julgar que o governo federal está agindo de maneira errada. "Oposição é para fiscalizar e é isso o que vamos fazer." Fernando Henrique descartou que o tom utilizado por Serra em seu discurso seja o lançamento da sua plataforma para as eleições presidenciais de 2010. "Ele é responsável e sabe que o momento agora não é de pensar na presidência da República, mas governar bem São Paulo." Numa crítica indireta ao presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva, FHC disse que Serra é diferente daqueles que promovem "uma falação incessante, que não tem resultado prático nenhum." FHC teve uma entrada triunfal no salão nobre do Palácio dos Bandeirantes, onde se realizou a cerimônia de transmissão de cargo. O ex-presidente entrou minutos após o início do evento, assim que a banda da Polícia Militar acabava de executar o Hino Nacional. FHC entrou sob aplausos, sendo o mais ovacionado do evento. Também bastante aplaudido, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) candidato derrotado à presidência da República, marcou presença no evento, acompanhado de sua esposa, Lu Alckmin. O ex-governador, entretanto, não quis falar com a imprensa, prometendo retomar os contatos com os jornalistas "ao final de janeiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.