FHC chama líderes para discutir votação da CLT

O presidente Fernando Henrique convocou, nesta segunda-feira, os líderes do governo no Congresso, deputado Heráclito Fortes (PFL-PI), no Senado, Arthur da Távola (PSDB-RJ) e o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Arthur Virgílio, para uma reunião no Palácio da Alvorada.A intenção é obter uma sintonia da base para as votações polêmicas no Congresso, principalmente as modificações na lei trabalhista e a correção da tabela do Imposto de Renda.O líder do governo no Congresso, deputado Heráclito Fortes, admitiu que o presidente Fernando Henrique está preocupado e empenhado na aprovação dos dois temas. ?Por isso, estamos conversando constantemente com os partidos da base, para buscar o auxílio de todos.?O próprio Fortes reconhece que são dois temas polêmicos. ?Mas espero que haja bom senso, para que o essencial dessas reformas possa ser votado.?De acordo o ministro Arthur Virgílio, a tendência é de que essas reuniões aconteçam sempre no início da semana. ?Além delas, estaremos promovendo almoços com os líderes para definir a espinha dorsal do governo?, explicou.Virgílio citou a expressão de um pensador, que dizia ?a cada dia, a sua agonia?. Parodiando o ditado, o ministro completou. ?A cada semana, sua agonia.?Apesar das divergências existentes entre os partidos da base aliada, Virgílio não vê uma crise instituída entre PMDB, PSDB e PFL. ?Eu vejo muita discussão e inquietação. Mas tenho conversado com os líderes, inclusive do PMDB, e tudo isso será resolvido.?Dentre os assuntos relacionados pelo ministro como fundamentais para o governo nesta semana, Virgílio destaca a aprovação de 93 créditos suplementares para os Estados, que está na pauta do Congresso Nacional, e a votação da PEC dos Combustíveis, que está no Senado.Além disso, o ministro ressaltou as mudanças da CLT, a mais polêmica das votações, prevista para a tarde desta terça, na Câmara. ?Se conseguirmos discutir esses temas, será uma semana de bastante êxito?, concluiu ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.