FHC busca nomes para Transportes, Energia e Justiça

O presidente Fernando Henrique Cardoso continua negociando a definição de nomes para ocupar os ministérios de Minas e Energia, da Justiça e dos Transportes, os únicos pendentes na reforma ministerial provocada pela desincompatibilização dos candidatos às eleições de outubro. O ministro da Integração Nacional, Ney Suassuna, que durante o dia admitiu que estava inclinado a se afastar do ministério, comunicou ao Planalto que permanecerá no cargo. O presidente Fernando Henrique se reúne ainda hoje com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann, para conversar sobre a possibilidade de que também ele permaneça no cargo. Jungmann, que se lançou pré-candidato à presidência pelo PMDB, estaria considerando a hipótese de disputar uma vaga na Câmara. O presidente, neste encontro, insistirá para que Jungmann não saia do governo. Nos últimos dias, o ministro avaliou suas chances de ser bem sucedido nas eleições de outubro. No entanto, constatou, segundo as mesmas fontes, que foi frágil a articulação em torno de seu nome, e que o resultado de uma pesquisa alertava para o risco de derrota.Com relação ao ministério de Minas e Energia, a escolha recai sobre o secretário-executivo, Luiz Gonzaga Perazzo. O seu nome não está confirmado porque o presidente Fernando Henrique Cardoso ainda tenta sensibilizar o PFL a permitir que Perazzo seja o novo ministro de Minas e Energia, contrariando a orientação do partido de se desvincular do governo. O novo ministro da Justiça está indefinido, até o momento. Dois ministros do Supremo Tribunal Federal, Carlos Velloso e Ilmar Galvão, foram convidados, mas declinaram. O presidente quer que o ministério seja ocupado por um jurista de renome, e o nome de Miguel Reale ainda figura entre os que seriam bem-vindos. A indefinição também está presente na indicação do novo ministro dos Transportes. Na reunião com Fernando Henrique Cardoso, o presidente do PMDB, Michel Temer, teria manifestado o desejo de que o partido pudesse reflitir sobre outros nomes, não apenas sobre a indicação do deputado João Henrique (PMDB-PI). Assessores do Planalto confirmam que o nome dos novos ministros será divulgado ainda hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.