FHC alerta sobre água e promete verba para energia eólica

O presidente Fernando Henrique Cardoso alertou hoje para o risco futuro do abastecimento de água no País. "Se não tivermos atenção ao uso da água vamos ter um problema muito sério tanto na energia, quanto na irrigação", afirmou o presidente, no pronunciamento de abertura do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, no Palácio do Itamaraty. O presidente defendeu a necessidade de uma mentalidade conservacionista no País. "Temos que aproveitar o momento agora", afirmou o presidente, referindo-se à crise de energia elétrica. "Assumo a responsabilidade que não é só minha", disse o presidente, ao tentar dividir a responsabilidade pela crise com governos anteriores. Energia eólicaO presidente anunciou que o governo federal vai investir na geração de energia eólica. Segundo ele, este é um dos principais pontos do conjunto de medidas que o governo anuncia amanhã para combater a crise do setor elétrico. Uma das iniciativas do Governo, antecipou o presidente, será incentivar um projeto do Governo do Ceará para a geração de energia eólica, cuja expectativa é gerar 1.000 MW. "Se conseguirmos gerar 500 MW já será muito bom". Protocolo de KyotoFernando Henrique disse que o Brasil vai ratificar o protocolo de Kyoto, que trata da redução da emissão de gases poluentes. "Nós não vamos recuar disso", disse o presidente, lembrando a posição contrária do governo americano ao protocolo. Segundo o presidente, não adianta o Brasil defender o acordo de Kyoto e se comprometer a cumpri-lo, enquanto outros países tentam adequar o acordo às suas necessidades. "Nós temos que estar puxando sempre outros países para responsabilidades divididas", disse o presidente. O protocolo de Kyoto será defendido em reunião mundial neste mês, na Alemanha. O presidente voltou a criticar a atitude do governo americano de rejeitar o protocolo de Kyoto. "Temos que estar sempre puxando os outros países para uma posição de responsabilidades divididas. O Brasil vai se colocar com uma posição afirmativa contra a emissão de gases", disse o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.