FH diz que problema social se resolve com "cabeça e coração"

O presidente Fernando HenriqueCardoso disse hoje, no sul do Pará, que verbas não são suficientes para resolver o problema social brasileiro. "As verbas sãonecessárias mas são insuficientes se não houver cabeça e coração, se não houver gente que saiba o que fazer e o faça comdevoção", afirmou, durante cerimônia de inauguração da segundaetapa da Usina Hidrelétrica de Tucuruí. Acompanhado pelo governador do Pará, o tucano AlmirGabriel, e dos ministros das Relações Exteriores, Celso Lafer, eda Justiça, Paulo de Tarso Ribeiro, Fernando Henrique sedespediu do povo paraense, destacando que a maior mudança de seugoverno não foi nem a estabilização da economia nem aconsolidação da democracia, mas a mudança de cultura e dementalidade que se processou no povo brasileiro. "Essa é a mudança da parceria, da compreensão que asociedade tem que se mobilizar, da compreensão de que tem de serespeitar a cidadania, da igualdade que se tem de derivar de umalei igual para todos, embora as diferenças possam existirmaterialmente, mas não podem existir diferenças de acesso aodireito de todos. Essa modificação já está em marcha", disse. Segundo ele, ainda falta muito para a caminhada nosentido da igualdade material, mas o sentimento de cidadania e aliberdade para que as pessoas possam defender seus direitos "jáestão incrustadas, enraizadas no Brasil". O presidente aproveitou a oportunidade de ter plantado uma mudade pau-brasil no bosque da casa de visitas da hidrelétrica paradizer que as futuras gerações perceberão as sementes que eleplantou nas bases da sociedade brasileira. "Daqui a 50, 100anos, essa árvore vai estar frondosa. Pois bem, nós plantamos noBrasil, nós todos, a semente da igualdade, da liberdade e daconsciência dos direitos e da capacidade de reivindicar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.