Festa da Padroeira do Brasil reúne 200 mil em Aparecida

Entoada pelo cantor sertanejo Sérgio Reis, a música Romaria, do compositor Renato Teixeira, marcou hoje a abertura e o encerramento da missa das 8 horas da manhã, na Basílica Nacional de Aparecida, realizada em comemoração ao dia da Padroeira do Brasil. Segundo a direção da Basílica, aproximadamente 200 mil pessoas do país inteiro foram até o município de Aparecida, em São Paulo, para acompanhar as celebrações - o maior número de fiéis nos últimos cinco anos. Em 2001, o evento teve púiblico de 133 mil pessoas.De ônibus, carro, bicicleta ou mesmo a pé, os fiéis chegaram em romarias pela via Dutra e lotaram as dependências da Basílica Nacional. Pelo 13º ano consecutivo, o aposentado Agostinho dos Santos, de Conselheiro Lafaiete (MG), percorreu 550 km de bicicleta durante três dias. "Enquanto eu tiver saúde, estarei aqui", disse. Pacientes, milhares de pessoas formaram uma grande fila para chegar perto da imagem original de Nossa Senhora Aparecida. Depois de 50 minutos de espera, os fiéis ficavam diante da imagem por poucos segundos, mas o bastante para se emocionarem. Com as mãos erguidas, balançavam a cabeça, em agradecimento.Milagre do empregoRegina Helena dos Santos era uma delas. Veio de São Paulo, em romaria, para agradecer os empregos conseguidos pela sua família. "Foi difícil, mas depois que pedimos para Nossa Senhora, ficou mais fácil e a gente conseguiu. Hoje em casa estamos todos com saúde e trabalhando", disse. Cópias das carteiras profissionais foram deixadas na Sala dos Milagres pela romeira.Dentro da Basílica, na Sala das Velas ou na passarela, pessoas com carteira de trabalho na mão recorreram à Santa por um emprego. Fernando Alves Cruz, de Santa Bárbara (SP), contou que veio ao Santuário pela primeira vez para pedir uma ocupação. "Está muito difícil, a gente tem que recorrer a Deus para conseguir alguma coisa", lamentou.A doméstica Mariza Fagundes, de Campo Limpo (SP), estava vestida de branco. No ano passado, ela pediu à Nossa Senhora um emprego e veio pagar a promessa com uma vela de sua altura. "Eu pensei que não ia conseguir, mas Nossa Senhora foi infalível." Na multidão, os milagres eram variados. Os mais devotos fizeram questão de seguir de joelhos pela passarela de 380 metros de cumprimento.Cássia Alves de Lima, de 21 anos, saiu de Santos, no Litoral Sul Paulista, ainda de madrugada. Acompanhada do marido, o músico Djalma Bibiano, percorreu de joelhos a passarela. Levou quase uma hora. Ela chorou no trajeto, mas de emoção. "Meu filho está vivo. Estou aqui por ele, graças à Nossa Senhora". Também de joelhos, Cléber Manoel Fonseca, de 22 anos, assistiu à missa. Demorou duas horas para chegar perto da imagem. "Prefiro não revelar qual graça alcancei". Assim como Cléber, muita gente preferiu manter a graça recebida em segredo. Na parte da manhã, as comemorações foram encerradas com a missa solene celebrada por dom Aloísio Lorscheider, cardeal do Santuário Nacional. Da cerimônia participaram 45 mil pessoas, entre elas um grupo de índios xavante que representou o tema da festa "Por Uma Terra Sem Males". Um abaixo-assinado, com 60 mil assinaturas, pela preservação e demarcação de terras indígenas foi entregue aos deputados federais Salvador Zimbaldi (PSDB) e Marcelo Ortiz (PV).AcidentesEm meio ao movimento intenso na Rodovia Presidente, um acidente envolvendo um ônibus que levava romeiros e um caminhão, ocorrido às 4h10, deixou dez feridos. O acidente provocou congestionamento no km 81, em Pindamonhangaba, na pista São Paulo-Rio. As vítimas foram levadas para um hospital em Taubaté. Às 7h40, um Escort que também seguia para o Rio de Janeiro derrapou na pista, no km 76, em Roseira, município vizinho a Aparecida, bateu contra a mureta que separa as pistas e capotou. O motorista, que não usava cinto de segurança, morreu e outras duas pessoas ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.