Ferraço defende saída de Aécio da presidência do PSDB

Senador tucano diz que Tasso Jereissati deve ser efetivado no comando do partido

Julia Lindner e Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2017 | 14h39

BRASÍLIA - O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) defendeu nesta terça-feira, 20, a saída definitiva do senador Aécio Neves (MG) da presidência do partido. Aécio está afastado há cerca de um mês do mandato parlamentar por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), sob a suspeita de ter acertado e recebido, por meio de assessores, "vantagem indevida" no valor de R$ 2 milhões da JBS. Por causa disso, ele também se licenciou da presidência do PSDB, sendo substituído pelo também senador Tasso Jereissati (CE). 

"Acho que nós precisamos evoluir para efetivarmos a presidência do senador Tasso Jereissati. O senador Tasso é, ainda, o presidente interino do partido e a minha tese é de que a gente deva evoluir para que ele possa ser o presidente efetivo do partido", disse Ferraço. 

Questionado sobre o pedido de prisão de Aécio apresentado pela Procuradoria-Geral da República, que será decidido pela Primeira Turma do Supremo na tarde desta terça, Ferraço desconversou. "Vamos aguardar o STF. Uma coisa de cada vez. Você ganha uma guerra dando um passo de cada vez", respondeu.

Considerado crucial nas decisões do Senado, o PMDB já indicou que só votará contra um eventual pedido de prisão do senador afastado no plenário da Casa se os tucanos demonstrarem apoio incondicional a ele, o que não vem acontecendo. Nos bastidores, há o entendimento de que, se nem o seu partido defender Aécio publicamente, "não sobra ninguém" para abraçar a causa. 

Tudo o que sabemos sobre:
aécio neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.