Fernando Gabeira contesta números do Ibope no Rio

Deputado critica diferença entre instituto e Datafolha

Marcelo Auler, RIO, O Estadao de S.Paulo

29 de setembro de 2008 | 00h00

Apontado nas pesquisas como o candidato à Prefeitura do Rio que mais tem crescido - uma alta de quatro pontos nas duas pesquisas mais recentes -, o deputado federal Fernando Gabeira (PV) contestou ontem os resultados do Ibope. Pesquisa do instituto, contratado pelo Estado e pela TV Globo, o coloca em terceiro lugar, com 10% das intenções de voto, mas a uma distância de 14 pontos do segundo colocado, o senador Marcelo Crivella (PRB). Pelo Datafolha, o candidato verde tem 15% e o bispo licenciado da Igreja Universal, 18%. "Eu sempre disse que o Ibope estava a serviço do PMDB. Tenho condições de demonstrar que eles têm contrato com o PMDB no Estado inteiro. As pesquisas deles, no meu entender, não têm credibilidade. As pesquisas a que eu dou mais credibilidade são a do Datafolha e a do GPP, onde a situação é muito parecida", disse, durante uma caminhada ontem de manhã na orla da zona sul do Rio.Pelas pesquisas, o peemedebista Eduardo Paes (29% tanto no Ibope quanto no Datafolha) já estaria praticamente garantido no segundo turno. A segunda vaga é que está indefinida. Mas, pelo Ibope, Crivella, com 24%, seria o mais provável concorrente. Já pelo Datafolha, três candidatos estariam em empate técnico: Crivella, com 18%, Gabeira, com 15% e Jandira Feghali, do PCdoB, com 13% (pelo Ibope ela tem apenas 9%).Embora desponte com possibilidades de alcançar o segundo turno como o segundo mais votado, Gabeira recusa-se a fazer a campanha do voto útil entre os chamados eleitores de esquerda. Ele garante que chegará ao segundo turno com o voto progressista. "Respeito todas as candidaturas, acho que todos, trabalhando, podem ter chance. Com os votos de consciência eu vou chegar lá."Para ele, nesta última semana, o importante serão os eleitores conscientes. "Esta semana é decisiva, onde o principal protagonista não é o candidato, é o eleitor. Quem tiver os eleitores mais decididos, mais empolgados e com mais argumentos, vai levar. Estou certo que tenho os eleitores mais confiantes, mais empolgados, mais decididos."Em campanha na zona oeste, Crivella preferiu não polemizar com os institutos de pesquisa. "A melhor pesquisa, para mim, é o carinho que tenho recebido do povo nas ruas", disse, segundo seus assessores. Ele destacou que tem chances de ir ao segundo turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.