Andre Dusek/AE - 31.08.2011
Andre Dusek/AE - 31.08.2011

Feriado na Copa será para maquiar problemas, diz Romário

Deputado critica proposta da lei voltada ao evento e faz ataques à Fifa por querer cobrar ingressos de R$ 120 para os jogos

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

20 de setembro de 2011 | 12h22

O deputado federal Romário (PSB-RJ) afirmou nesta terça-feira, 20, que a proposta inclusa na Lei Geral da Copa de decretar feriado no dia de realização de jogos servirá para “maquiar” problemas na realização do evento. O parlamentar afirmou ainda que é preciso criar meios de baratear os preços dos ingressos além de alterar trechos da lei sobre isenções de responsabilidades da Fifa.

 

“O feriado é péssimo. Vai maquiar um pouco a falta dessas obras que teriam que ser feitas 100% e maquiar alguns problemas que teremos durante a Copa do Mundo. Alguns não, muitos”, disse o deputado.

 

Romário criticou os gastos com dinheiro público em estádios e citou como o exemplo o Maracanã. “Eu, como político, cobro e, como brasileiro, lamento.” Ele destacou que os gastos no estádio estariam já em R$ 1,3 bilhão. Observou ainda o fato de o estádio já ter passado por outras reformas recentemente. “E depois da Copa vai ter outra”. O parlamentar criticou ainda os gastos com grandes arenas nas cidades de Cuiabá, Manaus e Brasília. O deputado afirmou que os recursos deveriam ser aplicados em saúde, educação e segurança. Segundo ele, falta também preocupação com o legado do evento.

 

Fifa. Ainda sobre a Lei Geral da Copa, o deputado defendeu análise detalhada sobre as isenções de responsabilidades concedidas à Fifa. Segundo ele, existem dois ou três pontos que precisam ser alterados. “Tem dois ou três pontos que teriam de ter uma participação da Fifa. Eles não podem entrar só com o nome e o know how e sair com o lucro sem ter nenhuma responsabilidade, acho isso estranho.”

 

Romário atacou ainda a entidade máxima do futebol devido à expectativa de preço dos ingressos, que seriam superiores a R$ 120. Segundo ele, é preciso baixar o preço para permitir o acesso das classes C, D e E ao evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.