Feriado desagrada comércio no Maranhão

O primeiro feriado na segunda-feira para os funcionários públicos maranhenses, como medida de economia de energia, desagradou aos comerciantes, ambulantes, taxistas e guardadores de carros. Eles tiveram perdas. Mas a governadora Roseana Sarney (PFL) explica que a decisão de transformar as segundas-feiras de julho em dias de folga foi amplamente discutida, e servirá para que o governo estadual cumpra a meta de um corte de gasto de energia de 35%. O prefeito de São Luiz, Jackson Lago, (PDT) também decretou ponto facultativo para os servidores municipais. O Maranhão é o primeiro Estado a adotar o feriado para economizar energia. Pelas contas da governadora, a cota de economia que coube ao governo é bastante elevada para compensar a pouca margem de redução em outros setores. "O consumo de 90% das residências é de até 100 kWh, não dá para fazer racionamento uniforme", justificou. Segundo ela, a maior dificuldade que tem encontrado para explicar o racionamento à população é o fato de que vem chovendo muito no Maranhão. Por ironia, ontem também choveu na capital.A folga na segunda-feira ainda não está sendo bem entendida pelos maranhenses. O taxista Francisco Roque conta que a sua cunhada estava desinformada, foi ao trabalho e encontrou as portas fechadas. Apenas os serviços essencias prestados por escolas, hospitais e segurança foram excluídos do programa. "O funcionáro público já não trabalha e criam mais um feriado?", reclama Roque, mas ao mesmo tempo confia na necessidade da medida. Quem faz coro ao taxista é a ambulante Maria de Jesus Nascimento. "Na sexta-feira já foi feriado de São Pedro, e tem tantos outros até o fim do ano", pondera. Em dias normais, Maria vende em média 40 sanduíches. Mas hoje, perto de ir embora, só tinha atendido a 18 fregueses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.