Félix diz que Abin não falhou sobre Waldomiro

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Armando Félix, declarou nesta segunda-feira que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) "não falhou" na verificação dos dados biográficos do ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz. O general confirmou que as primeiras verificações de dados dos contratados pelo novo governo só começaram a ser feitas depois das primeiras semanas, explicando que depois deste período foram realizadas as análises dos primeiros nomeados e dos subseqüentes. No caso do Waldomiro, assegurou o general, "nada de irregular" foi encontrado.O chefe do GSI defendeu a agência, que foi acusada de "falhar" na busca de informações em relação ao passado de Waldomiro. "A Abin só trabalha com fatos e documentos", declarou o general, acrescentando que "a Abin é muito transparente e só trabalha dentro do que a lei manda".O general Félix disse que não havia tomado conhecimento ainda do pedido de instauração de sindicância pelos representantes do sindicato ligado à Abin. "Só abriremos sindicância se alguém apresentar algum documento", declarou o general, ressalvando que a representação terá que ser analisada, e até o momento isso não ocorreu, conforme assegurou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.