Feldman e Sirkis vão com Marina para o PSB

Outros membros da Executiva provisória da Rede devem se filiar ao partido de Eduardo Campos

Isadora Perón, O Estado de S. Paulo

05 de outubro de 2013 | 15h45

Os deputados Walter Feldman (SP) e Alfredo Sirkis (RJ) decidiram que vão acompanhar a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva na sua migração para o PSB. Outros membros da Executiva provisória da Rede Sustentabilidade, como Bazileu Margarido e Pedro Ivo, também devem se filiar à sigla do governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Feldman diz que conversou com dirigentes do PSDB, seu antigo partido, e afirma que respeitará se a sigla quiser pedir o seu mandato.

Sirkis, que era do PV, conta que já tinha tomado a decisão de migrar para o PSB na sexta-feira, 4.

Outros deputados que apoiaram a criação da Rede tomaram caminhos diferentes. Domingos Dutra (MA) deixou o PT e foi para o Solidariedade. Miro Teixeira (RJ) trocou o PDT pelo PROS. Como os dois partidos foram criados há pouco tempo, transformaram-se em alternativa para o parlamentar que quisesse trocar legenda sem correr o risco de ser cassado por infidelidade partidária.

O deputado Antônio Reguffe (DF), que também apoiou a criação da Rede, decidiu continuar no PDT.

Alternativa de poder. Feldman e Sirkis comemoram a decisão de Marina se filiar ao PSB para disputar as eleições presidenciais de 2014, mesmo como vice numa chapa liderada por Campos. "Achei uma decisão maravilhosa. Agora o Brasil tem uma alternativa de poder", disse Sirkis.

Segundo Feldman, todo o plano foi arquitetado por Marina. "Na madrugada de quinta para sexta, Marina me falou dessa ideia. Na sexta, discutimos um pouco mais e entramos em contato com o Rodrigo Rollemberg, Márcio França e Beto Albuquerque (parlamentares do PSB). Também na sexta, tivemos uma primeira conversa com o governador", disse.

O deputado conta que dormiu somente quatro horas desde quinta-feira, 3, quando o pedido de registro da Rede foi negado pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Desde então, Marina e seus apoiadores emendaram uma reunião atrás da outra para chegar a essa decisão. "Quatro horas em duas noites, dá para imaginar?", diz Feldman.

Tudo o que sabemos sobre:
MarinaRede SustentabilidadePSBCampos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.