Feira consome energia do Palácio do Planalto

O presidente Fernando Henrique Cardoso corre o risco de ver parte da sua suada economia de energia, conseguida com o corte do ar-condicionado em seu gabinete e o fim da água gelada no Palácio do Planalto, se consumir numa exposição de racionalização de eletricidade que estava sendo montada hoje quatro andares abaixo da sua sala. Com permissão para utilizar a rede elétrica do prédio, os organizadores do evento acabaram conseguindo o que atualmente é problema para ministros, funcionários e até o presidente.O objetivo da exposição, patrocinada por quatro associações nacionais que representam o setor elétrico, mais Eletrobrás e Inmetro, é mostrar maneiras alternativas de economizar eletricidade e apresentar produtos que consomem menos energia. A montagem dos estandes estava sendo feita pela empresa Alcântara Machado Feiras e Negócios e a informação sobre o uso da eletricidade do Planalto foi confirmada pelo representante da empresa, que não quis dizer seu nome. O consumo durante a exibição, que vai de 29 a 31 de maio, deverá ser mínimo, segundo o funcionário da Alcântara Machado.A Diretoria de Recursos Logísticos da Secretaria de Administração da Presidência é quem viabilizou o evento e cedeu o espaço. A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que iria esperar até o início do evento para confirmar o uso da eletricidade e lançou um desafio. "Vamos ver a exposição montada antes de tratar disso?", pediu o subsecretário de imprensa da Presidência. Tadeu Afonso. Se não cumprir a cota de consumo, o presidente também corre o risco de cortes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.