Federação da Agricultura cobra cumprimento de mandados em MG

O presidente da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), Gilman Viana, cobrou hoje o cumprimento dos mandados de reintegração de posse no Estado, como forma de evitar o acirramento dos conflitos agrários em Minas. Gilman, que esteve reunido com o governador Aécio Neves (PSDB) no início da noite de ontem, no Palácio da Liberdade, pediu uma intervenção firme do governo para evitar novas invasões e conseqüentes "reações" dos ruralistas. "O que eu tenho advertido é que o fato sendo tão agressivo e não tendo respaldo da defesa pública, você não consegue segurar o companheiro num ato impensado", disse o presidente da Faemg, se referindo a recentes episódios no Pontal do Triângulo Mineiro, quando famílias de sem-terra foram expulsas e vítimas de violência em dois acampamentos na região. "Houve uma faísca. As pessoas não se sentiram assistidas e reagiram. Isso me preocupa". Gilman defendeu a adoção de "ações preventivas" às invasões de terra e disse que na reunião o governador mineiro deixou claro que não aceita atos em desrespeito à lei. O presidente da Faemg criticou a atuação da Vara Especializada de Conflitos Agrários em Belo Horizonte, por ele considerada "imprópria" e que estaria promovendo um processo de conciliação "tortuoso", com prejuízos para os fazendeiros. Criada durante o governo Itamar Franco - a quem Gilman chamou de "conivente" com as invasões de terras -, a Vara Agrária concentra os julgamentos das ações de despejo nas propriedades invadidas em Minas. Antes de sua instalação, os conflitos eram decididos pelo juiz da comarca local. A assessoria de imprensa do Fórum Lafayette informou que o juiz Cássio Salomé, titular da Vara Agrária, estava em viagem e não comentaria as críticas do presidente da Faemg.Gilman afirmou que levará nos próximos dias sua preocupação ao Comando da Polícia Militar. Segundo ele, os principais focos de tensão estão no Norte do Estado, no Vale do Rio Doce e Triângulo Mineiro. Para o presidente da Faemg, as invasões de terra desestimulam a produção no campo. "Se nós não tivermos segurança, estabilidade da propriedade, perdemos o estímulo de produzir".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.