FDA deve aprovar Botox para fins cosméticos

A droga injetável conhecida como Botox, em uso desde 1991 nos EUA, está prestes a ser aprovada pela Food and Drug Administration (FDA, agência para o controle de drogas e alimentos) para fins cosméticos, o que permitirá que o produto seja comercializado no mercado.O uso dessa toxina já é aprovado para tratamento de desordens espasmódicas dos músculos dos olhos, mas a aprovação de seu uso como cosmético permitirá que a indústria que a fabrica, Allergan Inc., promova o Botox - nome comercial da toxina botulina A - com uma torrente de propaganda.Analistas prevêem que o uso de Botox no próximo ano pode aumentar entre 30% e 50%. O produto foi usado por 1,1 milhão de americanos no ano 2000. Os pacientes ainda terão de recorrer a um médico para a aplicação das injeções, que podem custar de US$ 300 a US$ 1.000, e devem ser repetidas a cada três ou quatro meses.O Botox já fez a sua magia paralisante no rosto dos Estados Unidos. Segundo o jornal The New York Times, diretores cinematográficos, como Martin Scorsese e Baz Luhrmann, começam a queixar-se de que o produto está gerando o caos nas expressões faciais. E atualmente é raro, em determinados enclaves sociais, ver uma mulher com mais de 35 anos com a capacidade de mostrar uma expressão de indignação no rosto.Na semana passada, Greta Van Susteren provocou manchetes ao revelar os efeitos da cirurgia para remoção das bolsas existentes sob os olhos.Mas ela ressaltou que não são as pregas sob os olhos a verdadeira razão pela qual o público espera que uma mulher de 47 anos tenha as feições de uma jovem de 25 anos: a culpa é do Botox. "Não se passa um dia sem que alguém me fale sobre isso", disse ela. "Não vou citar nomes, mas todas as pessoas que trabalham na TV usaram Botox."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.