Fazendeiros prometem reagir a invasões do MST

O presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luis Antonio Nabhan Garcia, disse nesta quinta-feira que os fazendeiros vão reagir caso o Movimento dos Sem-Terra (MST) cumpra a promessa das lideranças de realizar novas invasões até o fim do ano."Estamos alertando as autoridades de que, se não houver medidas preventivas, vamos exercer o direito de defesa das propriedades."Segundo ele, no Pontal do Paranapanema, líderes do movimento vêm se reunindo, provavelmente para articular novas invasões. Nesta quinta-feira, um grande contingente de sem-terra acampou nas imediações de uma fazenda pertencente à família Bechara, no município de Sandovalina.O grupo foi despejado recentemente da Fazenda Santa Fé, na mesma região. Para Garcia, a libertação do líder José Rainha Júnior, nesta quarta-feira, depois de mais de dois meses na prisão por formação de quadrilha, vai incentivar novas ações no Pontal.O líder da UDR também criticou a declaração dada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, de que o problema do MST passa a ser, agora, do futuro governo. Segundo ele, na interpretação do movimento, as invasões não serão reprimidas no período que resta ao atual governo."O governo de Fernando Henrique ainda não acabou, mas ficou a sensação de que ele vai se omitir ante as ações do MST."Para Garcia, a marcha dos sem-terra para a Base de Alcântara, no Maranhão, em protesto contra a presença americana na área, demonstra que o MST não se preoocupa realmente com a questão fundiária. "Eles querem incendiar o País."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.