Fazendeiros bloqueiam cestas básicas para índios

Um grupo de quase 200 fazendeiros de Mato Grosso do Sul reteve durante nove horas nesta quarta-feira dois caminhões com alimentos para os índios terena da Aldeia Buriti. São mil cestas básicas do programa Segurança Alimentar que ficaram em poder dos manifestantes. Eles também bloquearam a rodovia MS-162, interrompendo o tráfego entre as cidades de Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia, a 140 quilômetros de Campo Grande. Os ruralistas dizem que não suportam mais as invasões de suas fazendas na região. Eles afirmam que de fevereiro deste ano até o final de agosto onze propriedades rurais foram tomadas pelos índios. As famílias expulsas que não têm onde buscar abrigo estão vivendo em acampamentos perto das áreas invadidas.O bloqueio durou nove horas, sob uma temperatura de 35 graus, céu aberto e muito sol, o que pode ter prejudicado alguns produtos alimentícios. Quatro funcionários do Segurança Alimentar e os dois motoristas também foram obrigados a permanecer no local. O governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, determinou ao secretário de Coordenação Geral do Governo, Paulo Duarte "todo o rigor da lei contra os manifestantes". Tropas de choque da Polícia Militar acompanharam o secretário até até final do protesto, que poderá continuar durante a semana, dependendo do resultado da audiência que representantes dos produtores terão na quinta-feira à tarde em São Paulo com a juíza Suzana Camargo, no Tribunal Regional Federal, para discutir a desocupação das áreas invadidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.