Fazendeiro apresenta milícia contra invasão de sem-terra

Enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebia nesta quarta-feira a cúpula do MST, em Brasília, um grupo de 15 homens fazia exercícios de tiro no interior de uma fazenda, no Pontal do Paranapanema, no interior paulista. Não eram homens nem armas quaisquer.São profissionais treinados para manusear com precisão de simples revólveres calibre 38 até armas de uso restrito das Forças Armadas, como o fuzil AR-15, escopetas calibre 12 de cano curto e carabinas 44.A missão desse exército particular é uma só: eles são pagos para reprimir uma possível invasão dos sem-terra. "Damos um tiro de alerta para o alto para não entrar, mas se entrar, a ordem é baixar o cano", explica o líder.Leia a reportagem completa nesta quinta-feira em O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.