Fazendas do tráfico são destinadas aos sem-terra em Goiás

Mais duas propriedades rurais usadas pelo narcotráfico serão destinadas à reforma agrária em Goiás. As fazendas somam 680 hectares de área, segundo informou o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Goiás. No mês passado, o Incra assentou 60 famílias na fazenda Quinta da Bicuda, que pertenceu ao comerciante português Antonio Damásio, condenado a 24 anos de prisão por envolvimento com o tráfico internacional de drogas. Nas fazendas Descanso Estreito, Ponte Pedra e Fartura, localizadas no município de Paraúna (GO), serão assentadas 22 famílias, e as desapropriações estão sob análise de decreto da consultoria jurídica do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). No Estado há sete mil famílias de sem-terra na fila da reforma agrária e, nos levantamentos parciais do Incra, quatro mil delas deverão ser assentadas em 2007. Há seis anos, a Polícia Federal descobriu no interior das fazendas de Paraúna dois caminhões carregados com cocaína. Na época, os proprietários foram presos, os laudos periciais feitos pelo Incra indicaram a improdutividade das fazendas e o conseqüente processo de desapropriação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.