Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Faxina retira fotos de Temer do Palácio do Planalto

Retrato, tirado em 2017, é retirado para ser trocado pelo do presidente Jair Bolsonaro, que tomou posse no dia 1

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2019 | 21h52
Atualizado 03 Janeiro 2019 | 13h12

BRASÍLIA - Em seu primeiro dia útil de governo, o presidente Jair Bolsonaro não precisou “conviver” com o antecessor, Michel Temer, nas paredes do Palácio do Planalto. As fotos oficiais de Temer que ainda não haviam sido retiradas após a cerimônia de posse de Bolsonaro foram despachadas entre esta quarta e quinta-feira. Os quadros foram levados para um subsolo do Planalto

No quarto andar do Palácio do Planalto, o retrato de Temer estava literalmente no chão. A faxina começou bem cedo nas salas da Secretaria-Geral da Presidência, onde a reportagem do Estado flagrou fotos oficiais do emedebista amontoadas, algumas até de ponta cabeça.

Com um enquadramento conhecido como plano americano, do joelho para cima, o retrato que tanto demorou a ser pendurado nos gabinetes do Planalto, após o impeachment de Dilma Rousseff, foi tirado no início de maio de 2017, antes das delações do empresário Joesley Batista, da JBS, à Lava Jato. Nele, porém, Temer não exibia a faixa presidencial.  

Na prática, a primeira vez que Temer apareceu em público com a faixa foi nesta terça-feira, 1.°, justamente para passá-la a Bolsonaro. Em conversas reservadas, dois auxiliares do presidente disseram que a nova foto oficial não deve tardar a fazer parte do Planalto, da Esplanada dos Ministérios e de repartições públicas.

Mais conteúdo sobre:
Jair BolsonaroMichel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.