Favre nega que esteja por trás do novo discurso de Marta

Luis Favre, marido da prefeita Marta Suplicy e um dos coordenadores da campanha petista em São Paulo, saiu ontem em defesa da estratégia de Marta. Na quarta-feira a prefeita afirmou que uma eventual vitória do adversário José Serra (PSDB) poderia criar uma crise política no País, pois o tucano usaria o cargo para fazer oposição ao governo Lula. "O que Marta falou é uma banalidade que todo analista já mostrou", disse Favre. Para ele está claro que a sucessão paulistana é estratégica para a disputa presidencial de 2006. Favre sustenta que não há nas afirmações da prefeita um "discurso do medo". Ele argumenta que as declarações de Marta "apenas fazem eco" a afirmações feitas por Serra. Favre cita o discurso do tucano durante um seminário do PSDB realizado em Brasília, no dia 8 de junho. Na ocasião, Serra disse que, "se o PSDB se fortalecer nesta eleição, dará um passo para que, em 2006, possa novamente retomar o comando do poder federal e dos Estados." O marido da prefeita, que é o principal interlocutor do PT com o publicitário Duda Mendonça, responsável pelo marketing de Marta, nega estar por trás da postura mais incisiva adotada por ela nos últimos dias. "Nem eu nem ninguém está por trás dessas declarações." Ele afirma que todas as decisões são acompanhadas, aprovadas e apoiadas pelo comitê central da campanha. "Marta não está adotando uma postura agressiva. Ela está calma e muito tranqüila", avaliou Favre.Resposta O presidente nacional do PT, José Genoino, também defendeu Marta, dizendo que "quem começou a campanha atacando a prefeita e os petistas foram os tucanos". Segundo Genoino, o PSDB "radicalizou" a disputa por meio das propagandas do Estado e das declarações do governador Geraldo Alckmin (PSDB) no horário eleitoral gratuito de TV. "Quem elevou o tom foram os tucanos", disse o dirigente. Genoino também citou o evento do PSDB no qual Serra "federalizou" a campanha paulistana. Para ele, é justo que Marta use sua ligação com Lula num momento em que o governo comemora melhoria na economia. "A prefeita sempre defendeu o presidente, mesmo nos momentos mais difíceis." O presidente do PT municipal e coordenador-geral da campanha de Marta, deputado estadual Ítalo Cardoso, afirmou que as declarações da prefeita não invertem a estratégia do partido. "Está tudo dentro do combinado. O que ela disse não sai do eixo da campanha, que é de propostas", disse. "Estão tentando forçar uma pauta que não existe."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.