Farc pretendem sabotar visita de Bush à Colômbia

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), principal força guerrilheira da Colômbia, pretende realizar ataques na capital do país para sabotar a visita do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou a polícia nesta quinta-feira, 8. O diretor da Polícia Nacional, general Jorge Daniel Castro, disse que os serviços de inteligência colombianos interceptaram comunicações de líderes das Farc determinando a execução de ataques em protesto à chegada de Bush neste domingo. "Estamos com todos os órgãos de inteligência e toda a força pública muito atentos. A idéia é que o plano que elaboramos, que já está funcionando há oito dias, seja suficiente para conter as ações, e esperamos que nada aconteça", afirmou Castro. Bush ficará na Colômbia durante sete horas, dentro da viagem que inclui Brasil, Uruguai, Guatemala e México. Um contingente extra de 7 mil policiais federais terá a missão de proteger Bush em Bogotá. Eles vão se somar aos 14,6 mil que já patrulham normalmente a capital colombiana. Além disso, o serviço secreto norte-americano também vai atuar na proteção do presidente. É a segunda visita de Bush à Colômbia desde 2004. Ele vai se reunir com o presidente Álvaro Uribe, seu maior aliado na América Latina. Com o apoio dos EUA, Uribe empreende uma forte campanha de segurança contra as guerrilhas e o narcotráfico. O aeroporto internacional de Bogotá será fechado durante a estada de Bush. Ruas serão fechadas e helicópteros farão patrulhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.