Farc e plantações de coca estão perto da fronteira do Brasil

Investigações da Polícia Federal constataram que a fronteira do País não está sob ameaça apenas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que já se encontram a 20 quilômetros do Brasil. Um levantamento da PF descobriu que as plantações de coca estão avançando pela floresta colombiana e se encontram a menos de 100 quilômetros da região conhecida como Cabeça do Cachorro, no alto Rio Negro, no Amazonas, bem próximo a diversas aldeias indígenas. Segundo o coordenador de Projetos Especiais da PF na Amazônia e chefe da Operação Cobra (junção das siglas de Colômbia e Brasil), Mauro Spósito, as plantações estão dentro da área onde hoje atuam as Farc. "O grupo já domina grande parte do cultivo", afirma o delegado, explicando que muitas vezes os guerrilheiros também agem como ajudantes do narcotráfico internacional.As plantações, segundo a PF, estariam próximas a Mitú, capital do Departamento de Vaupés, onde os guerrilheiros têm um grande acampamento. Anteriormente, os maiores cultivos foram localizados em Barrancominas, onde Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e Leonardo Dias Mendonça, o Léo, os dois maiores traficantes brasileiros, atuavam até 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.