Famílias de sem-terra voltam a ocupar usina na Bahia

Famílias ligadas ao Movimento dos Sem Terra (MST) voltaram a ocupar hoje a Usina Itapetingüi, uma velha usina de açúcar abandonada situada às margens da rodovia BR-324, município de Amélia Rodrigues, a 70 quilômetros de Salvador. Os trabalhadores rurais já invadiram o local várias vezes nos últimos meses e são sempre obrigados a deixá-lo por ordens de reintegração de posse impetradas na Justiça pelo proprietário Roberto Falcão.A última ocupação ocorreu no início de março, mas os sem terra saíram da propriedade no mesmo dia temendo a nova lei que proíbe a inclusão de áreas invadidas no programa de reforma agrária. No entanto, como o processo de desapropriação da usina está atrasado e o escritório regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) não estaria se esforçando para resolver o problema, na visão do MST, cerca de 350 famílias decidiram entrar novamente na Itapetingüi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.