Famílias aguardam chegada dos corpos a São José dos Campos

Depois de confirmadas as mortes, a expectativa das famílias que perderam parentes na explosão do VLS 1 em Alcântara (MA) é com relação à identificação e chegada dos corpos ao Centro Técnico Aeroespacial, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba. Na casa do engenheiro Luís Primon de Araújo, morto no acidente, sua mulher, Alaíde Bonfá Araújo, estava à espera de informações. "O CTA informou que eles vão avisar sobre a identificação e chegada dos corpos, então, não há o que fazer, estamos esperando". Casada com o engenheiro há 13 anos, Alaíde tem dois filhos de 9 e 5 anos. "Contei pra eles o que havia acontecido e até agora estão reagindo bem, são crianças". Em Taubaté, um dos filhos do engenheiro César Varejão disse que o corpo do pai já foi identificado, mas ainda há a incerteza da data do velório. "Não sabemos se chegará hoje. O corpo ficará no CTA em um velório junto com os outros e depois vamos fazer outro velório e o enterro aqui em Taubaté", disse Camilia Varejão.Segundo informações extra-oficiais, os corpos já identificados sairiam ainda hoje do Instituto Médico Legal (IML) de São Luiz do Maranhão, já que o local não tem infra-estrutura para um grande número de cadáveres. » Entenda como foi o acidente

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.