Famílias abandonam assentamento por causa da seca

Quinze famílias de agricultores abandonaram o assentamento Cabelo Negro, em Mossoró, a 277 quilômetros de Natal, por causa da seca. Não há água para sustentar a pequena criação de animais, cabras e bodes, nem para irrigar as plantações.O assentado Erivan Moura teve de vender 17 reses. "Para manter os animais que restaram, eu tenho de ir para o mato tirar macambira", diz o ex-sem-terra, se referindo a uma planta usada para fazer pão. As nove famílias que estavam de mudança para o local desistiram há poucos dias. No assentamento, nenhum hectare é irrigado. Há um rebanho coletivo com 300 animais.Erasmo de Souza conta que um caminhão-pipa custa R$ 20,00. "Precisamos de dois por dia e temos de vender bodes para comprar água, remédio e sal", relata o agricultor, acrescentando que, deste jeito, não dá para sobreviver no assentamento. "Estamos aconselhando o pessoal que ainda resta a esperar uns dois meses para ver se alguma autoridade nos ajuda e toma providências", disse o presidente da Associação Comunitária de Cabelo Negro, Valdemiro Moura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.