Família brasileira encolhe e envelhece, mostra Censo 2000

Dados do "Resultado do Universo" do Censo Demográfico 2000, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), indicam uma brutal redução do tamanho das famílias brasileiras, com uma média de 2,2 crianças por mulheres em idade reprodutiva, número bastante próximo ao de países do Primeiro Mundo. O resultado foi a menor taxa de crescimento demográfico do País desde 1940, de 1,64% anual entre 1991 e 2000. Nesse período, a população aumentou em 23 milhões de pessoas, chegando, em 1º de agosto de 2000, um total de 169.799.170 pessoas.O estudo abrange os dados do Censo 2000, cuja sinopse preliminar foi apresentada em maio deste ano, e indicou também que a população brasileira está envelhecendo. A idade média dos brasileiros passou de 21,7 para 24,2 anos. ?Tal tendência (...) vem determinando uma progressiva redução do número de nascimentos, de tal forma que é possível estimar que o processo de diminuição (...) do crescimento populacional brasileiro deverá ter continuidade nos próximos anos?, cita a pesquisa do IBGE.De acordo com o Instituto, a população brasileira foi multiplicada por quase 10 vezes no século XX. Entre os censos de 1900 e 2000, o ritmo mais intenso de crescimento foi atingido durante a década de 50, quando a população registrou uma taxa média de incremento anual de cerca de 3%. ?A taxa de crescimento vem se desacelerando desde então, em função da acentuada redução dos níveis de fecundidade e seus reflexos sobre os índices de natalidade?, aponta o documento.RegiõesO Nordeste apresentou a mais baixa taxa de crescimento da década, fruto, de acordo com o IBGE, da combinação entre a saída populacional por emigração em direção a outras regiões e da diminuição do ritmo de crescimento da população. As regiões Norte e Centro-Oeste, que no passado recente apresentaram altas taxas em razão dos movimentos populacionais de ocupação de fronteiras agrícolas, permanecem mantendo os mais elevados índices de crescimento, apesar de o ritmo já estar reduzido.A pesquisa "Resultados do Universo" do Censo 2000, indicou que 31.845.211 pessoas viviam em áreas rurais, sendo que quase metade delas (46,4%) residia no Nordeste. A proporção de brasileiros residindo em áreas urbanas, que era de 75,6% em 1991, passou para 81,2% no ano passado. A pesquisa apontou ainda que o Sudeste é a região com maior grau de urbanização (90,5%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.