Família Bornhausen articula palanque para Eduardo Campos em SC

O deputado disse que tomou a decisão de migrar para o PSB quando o PSD deu sinais de que deverá apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff

Erich Decat , Agência Estado

05 de agosto de 2013 | 22h01

O projeto presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), ganhará o reforço da família Bornhausen em Santa Catarina. O deputado federal Paulo Bornhausen, atualmente secretário de Desenvolvimento Econômico no governo de Santa Catariana, se filia ao PSB no próximo dia 30 de agosto. Na ocasião, Campos deve estar presente.

Paulo Bornhausen é filho de Jorge Bornhausen, ex-senador que comandou o antigo PFL - hoje DEM. Bornhausen foi um dos maiores inimigos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2005, no auge do escândalo do mensalão, o então senador Bornhausen afirmou "vamos acabar com essa raça", referindo-se à chance de a oposição tirar o PT do poder.

Jorge Bornhausen, hoje sem partido, não confirma se também vai se filiar ao PSB. Em 2011, ele auxiliou o ex-prefeito Gilberto Kassab a articular a criação do PSD.

"Tenho muitos anos de história, de liderança, e com a ajuda do meu pai, do grupo que a gente tem, vamos fazer um belo palanque para o Eduardo Campos aqui também", afirmou Paulo Bornhausen. O deputado disse que tomou a decisão de migrar para o PSB quando o PSD deu sinais de que deverá apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff. O vice-governador de São Paulo, Afif Domingos (PSD), ganhou da presidente o comando do Ministério da Micro e Pequena Empresa.

"Tomei a decisão quando senti que o partido estava indo para apoiar a Dilma. É complicado. Eu não tenho condições, de forma alguma. Além do mais você acha que o meu eleitor é bobo? Vão dizer: 'Tu não, cara! Você que foi líder de oposição na Câmara, que teve o pai perseguido pelo PT no Brasil? É uma questão moral, ética, de postura."

Segundo ele, também pesou na decisão o fato de ter "certeza" que Eduardo Campos sairá candidato à Presidência em 2014. "Eu tenho certeza disso. Ele não tem nada a perder. Tem discurso, tem presença. Vai ter apoiadores no Brasil inteiro. Ele na minha opinião é o novo nessa eleição."

Paulo Bornhausen disse que tentará ser reeleito deputado federal. "Estou ajudando a montar uma chapa boa para eleger pelo menos dois a três deputados, uma boa bancada na Assembleia e fazer o palanque do governador no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.