Falta de investimentos causou ´caos´ aéreo no Brasil, diz <i>FT</i>

O jornal Financial Times destacou em sua edição desta quinta-feira, dia 5, que a crise entre os controladores de tráfego aéreo gerou um "caos" na aviação comercial brasileira. Segundo o diário britânico, a aviação civil do País estava "num estado próximo de crise" desde setembro do ano passado, quando a colisão entre um Boeing 737 da Gol e um jato executivo causou a morte de 154 pessoas. "Desde então, uma série de falhas nos equipamentos expuseram as carências no investimento e manutenção", disse o FT. "Na semana passada, soube-se que o sistema de aterrissagem guiado no principal aeroporto de São Paulo tinha ficado fora de operação durante um mês, com os pilotos fazendo as aterrissagens apenas com base em sinais visuais."Segundo Marc Baumgartner, presidente da IFATC, entidade que representa 50 mil controladores de tráfego aéreo no mundo, o principal problema é que não há supervisão. "O limite de segurança é constantemente ultrapassado, e isso é amedrontador", disse Baumgartner ao FT. "O público está pagando por um nível de segurança e está sendo enganado pelo governo."O FT observou que, embora o governo tenha elevado o seu gasto corrente, especialmente com os salários do funcionalismo público, tem cortado investimentos para atingir suas metas orçamentárias. Segundo o jornal britânico, ao invés de elevar os investimentos no setor, o governo tem buscado outras soluções, como a de atender a reivindicação de que o serviço de tráfego aéreo seja transferido dos militares para o controle civil. "Mas até que isso ocorra, os controladores de tráfego aéreo se vêem num limbo", disse. O FT disse que mais greves dos controladores "estão a caminho".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.